segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Terraceamento

O terraceamento foi uma hipótese pensada por nós que pode ajudar a prevenir os deslizamentos. Apesar de ter um custo um pouco elevado,  pode durar a longo prazo. Na realidade, o terraceamento é uma prática de cunho agrícola, mas que pode ser adaptada à causa dos deslizamentos. Consiste em dividir um declive comprido em outros menores, formando espécies de terraços. Por diminuir a influência da força e vazão da água no solo, essa técnica é usada para diminuir os efeitos causados pela erosão hídrica, que acaba por prejudicar a terra deixando-a esburacada e infértil.
            O uso do terraceamento depende muito da finalidade do mesmo. Existem tipos de terraceamentos que são usados para reter água e deixá-la infiltrando no solo, enquanto outros são usados para escoar o excesso de água na terra. O tipo do terraço também varia de acordo com a declividade do terreno e o tipo de solo do local, e a permeabilidade do mesmo. 
Exemplo de Terraceamento

Quanto à função, podemos dividir os tipos de terraceamentos em dois: terraço em nível e terraço em desnível. O terraço em nível é indicado para culturas agrícolas que precisam de retenção de água, em regiões com poucas precipitações e em solo de declividade de 12% (porcentagem essa calculada pela razão da altura do declive sobre a distância do declive multiplicada por cem). O terraço em desnível, o que nos interessa, tem a finalidade de escoar a água, só podendo ser feito em solos pouco permeáveis e em um terreno de declividade de 20%. Este terraço apresenta um declive suave, com uma das suas extremidades abertas, que conduz a água para algum sistema de escoamento a prova de erosão. (EBAH.COM.BR, 2011)
            Dos tipos de terraços que realiza a drenagem do solo, podemos destacar o terraço comum que é o tipo mais usado. Constitui em uma junção de um canal com camalhão, que desvia o curso da água da chuva de maneira um pouco mais lenta, evitando a erosão do solo. Usado em declives de 20% de inclinação, deve ser usado em conjunto com vegetação, de preferência vetiver, uma planta que possui raízes de 6 metros de profundidade, o que ajuda muito a combater o processo erosivo. A vegetação também ajuda a minimizar o impacto da chuva sobre o solo, aumentando a sua eficácia e diminuindo o risco de erosão. 
Terraço Comum;

Para construir um terraço, devem-se levar em consideração vários fatores, em relação ao terreno. O sistema deve estar em um local protegido de quantidades de água indesejadas, em lugares indesejados do terraço e deve ter um dimensionamento correto, ou então o terraço pode vir a ruir. Além disso, deve-se estar ciente de que a base do sistema de terraceamento é igualmente proporcional ao nível de declividade. Quanto maior a declividade, mais estreita a base, como apresentado na tabela abaixo.  

Tabela  - Nível de declividade para cada base de terraço



Pensando na melhor atuação do sistema de terraceamentos na prevenção de escorregamentos de encostas, algumas espécies vegetais, como gramas e capins que ajudam na sustentação da terra, são cultivadas. Geralmente, as espécies adequadas para a cultura em terraços são aquelas que possuem longas raízes, para que o solo superficial tenha uma melhor fixação. Saber qual a planta correta a se cultivar nessas áreas é de extrema importância, já que, da mesma maneira que elas ajudam a evitar o deslizamento, as mesmas – de espécies inadequadas – podem agravar ainda mais o problema.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário